Sidebar

BT Login

Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *
b2UwOWZmZG9iYTI5ZG1tdDkzY2k3cXR2NTYxNTYxMDc1MDg3 Relação entre disponibilidade hídrica e manutenção é fator de sucesso da Usina de Itaipu - Revista Manutenção
Reload Captcha

BM Slide Login

Relação entre disponibilidade hídrica e manutenção é fator de sucesso da Usina de Itaipu

SENOP disponibilizada pelo Jornal de Itaipú através através da Lei nº 12.527/2011

Ferramentas
Fonte
  • Menor Pequena Média Grande Maior
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times



TAGOUT
MAXINST
Parceiro
JW Service Engenharia
GMG Service
BRLUX
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro

(Itaipú) O diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, Luiz Fernando Leone Vianna, destacou, durante a abertura do 8º Seminário Nacional de Operadores de Sistemas e de Instalações Elétricas (Senop), nesta quarta-feira (4), a experiência da empresa ao considerar, a partir de 2011, a disponibilidade hídrica na programação das atividades de manutenção das suas unidades geradoras de energia. O evento continua até sexta-feira (6), no Hotel Golden Park Internacional, em Foz do Iguaçu.

Segundo Vianna, a relação entre o aproveitamento da água e a disponibilidade das máquinas é um dos motivos para os altos índices de produção da usina, que em 2016 bateu novamente o recorde mundial de geração anual, alcançando a marca de 103 milhões de megawatts-hora (MWh) – energia suficiente para abastecer Foz do Iguaçu por 200 anos ou o mundo inteiro por dois dias. E tudo isso sem comprometer a segurança das pessoas, dos equipamentos e do meio ambiente.

“Programamos nossas manutenções de acordo com as informações meteorológicas. É o que chamamos de ‘a dança com as águas’”, explicou o diretor, durante a palestra intitulada “Usina Hidrelétrica de Itaipu: produção com alta performance”. De acordo com Vianna, em uma situação de escassez hídrica, a empresa pode optar por antecipar a manutenção de uma máquina, para que ela esteja disponível no momento de maior vazão. “Essa análise tem que ser dinâmica.”

Vianna ilustrou o impacto positivo dessa mudança de gestão com um exemplo prático. Em 2012, ano em que a binacional também havia estabelecido, na ocasião, um novo recorde mundial de produção (98,2 milhões de MWh), nenhum dos quatro fatores críticos relacionados à produção de energia (água, disponibilidade das máquinas, sistema de transmissão e demanda) esteve entre os quatro melhores desempenhos alcançados pela empresa nos 16 anos anteriores. A nova forma de gerenciar a relação entre esses quatro fatores, no entanto, foi preponderante.

“A questão da produtividade [de uma usina hidrelétrica] não envolve apenas a operação, mas todos os entes participantes, internos e externos. Envolve a operação, a manutenção, o ONS, a Eletrobras. Trouxemos os hidrólogos e meteorologistas para dentro do processo de decisão”, revelou.

Segundo o diretor-geral brasileiro, os próximos desafios de Itaipu serão a atualização tecnológica (a usina começou a gerar energia há mais de três décadas) e a revisão do anexo C do Tratado de Itaipu, que estabelece as bases financeiras e de prestação dos serviços de eletricidade.

O seminário

O 8º Senop reúne cerca de 250 profissionais de 70 empresas do setor elétrico brasileiro. O evento é considerado o maior do País voltado para as equipes de operação em tempo real do Sistema Interligado Nacional (SIN) – que integra a produção e a transmissão de energia elétrica em quase todo o Brasil.

manutencao disponibilidade sucesso itaipuSu

O seminário foi aberto na manhã desta quarta-feira (4). Além de Vianna, também compareceram o diretor técnico da Itaipu, José María Sánchez Tilleria; o representante da diretoria do Operador Nacional do Sistema (ONS), Angelo Franceschi; e o secretário executivo adjunto do Comitê Brasileiro da Comissão de Integração Energética Regional (Bracier), Antônio Carlos Menezes.

A promoção é do ONS, com organização da Itaipu Binacional e apoio institucional do Bracier. “Essa edição [do Senop] já é um sucesso. Pela adesão dos profissionais e pela forte presença das empresas de geração, transmissão e distribuição de energia”, afirmou o coordenador técnico do seminário, Delfim Maduro Zaroni, do ONS. A coordenação geral é do superintendente de Operação de Itaipu, Celso Torino.

Vianna lembrou que a primeira edição do Senop, em 2001, foi organizada pela Copel, quando ele trabalhava na empresa. Desde então, o evento já passou pelos Estados de Minas Gerais, Pará, Ceará e Santa Catarina e também pelo Distrito Federal. Neste ano, volta ao Paraná.

“Tenho acompanhado a evolução desse seminário desde a primeira edição e o fato de ter começado com [foco nos] sistemas e depois ter migrado para uma abrangência maior [incluindo as instalações) é muito importante”, afirmou Vianna. “Porque o sistema brasileiro é dificílimo de ser operado e tem se tornado mais difícil ainda, com inclusão das fontes intermitentes – como a solar e a eólica”, acrescentou.

No seminário estão previstas 29 apresentações técnicas (ATs), dois painéis técnicos e um painel estratégico sobre “Atualização tecnológica como base para a inovação nos processos de operação em tempo real” – com representantes de Itaipu, ONS, Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e Secretaria de Energia Elétrica (SEE) do Ministério de Minas e Energia (MME).

via Press Release
manserv

 

Texto: Primeira edição publicada na Revista Manutenção sob lei de acesso à informação  Lei de acesso à informação
Imagens: As imagens possuem licenças específicas, consulte as respectivas legendas
SENOP disponibilizada Jornal de Itaipú através da Lei nº 12.527/2011
Seminário disponibilizada pelo Jornal de Itaipú através da Lei nº 12.527/2011
COMENTE, DEBATA, DISCUTA OU DEIXE A SUA OPINIÃO RESPEITOSAMENTE
Os comentários não representam a linha editorial, tampouco a opinião dos articulistas e editores da Revista Manutenção, e estão sujeitos a moderação, pois são de responsabilidade exclusiva de seus autores.

Caso encontre algo ofensivo que viole a legislação vigente no Brasil ou os termos de uso, DENUNCIE.

DETALHES SOBRE O AUTOR
redacao Relação entre disponibilidade hídrica e manutenção é fator de sucesso da Usina de Itaipu - Revista Manutenção
Redação
Nome: Redação
Website: http://www.revistamanutencao.com.br
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Editores, redatores e revisores


   Redes sociais: 
Linkedin
 
Facebook
 
Google+
 
Youtube
 
Twitter
 
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.




APRESENTAÇÃO:

A Redação da Revista Manutenção é composta por profissionais que atuam com manutenção no setor secundário (indústria) e terciário (comércio e serviços) da economia, dispostos à difundir informações, artigos, opiniões, debates e eventos, para estudantes e profissionais que atuam direta ou indiretamente com manutenção, assim como na gestão de ativos, recursos e serviços.

MISSÃO, VISÃO E VALORES:

Explorar o potencial da internet para tornar-se referência como acervo científico e tecnológico, através da publicação de conhecimento, sob licença de uso que o permita ser difundido entre estudantes e profissionais que atuam direta ou indiretamente com manutenção, cujos interesses sejam convergentes e alinhados com a missão citada acima e com os valores pormenorizados no seguinte documento: Institucional.html


Avalie esta publicação: 1 1 1 1 1 Nota 0% (0 Votos)
Compartilhar

Facebook

Redes Sociais

 

 
 

Anúncios

Ainda não é registrado? Registre-se agora!

ÁREA DO ASSINANTE